O samba vem me chamar

O samba vem me chamar

Fundo de Quintal

Article mis à jour le 20 juin 2017

 

 

 

 

 

Site officiel

 

Comme tout ce que j'ai trouvé sur eux est en portugais, et que je ne comprends pas tout, hi hi hi, je peux juste dire que ce groupe est un groupe de pagode, originaire de Rio, très connu, qui a été créé à la fin des années 1970.

 

J'ai des musiques de Fundo de Quintal dont je ne connais pas le titre, je suis en train de faire des recherches, j'en ai trouvé pas mal mais il m'en manque encore.

En attendant, voici les paroles de quelques chansons que j'aime bien

 

 

Clareou

 

Ê clareou

Clareou........é um novo dia

É hora de voltar pra casa Maria

 

Maria vai pra Portela, Império Serrano e Padre Miguel

Maria vai pra Mangueira, Estácio, Salgueiro e Vila Isabel

Ninguém segura Maria, que é feito abelha no mel

Maria não sai do samba enquanto há lua no céu

 

Refrão

 

Mas Maria quando chega em casa, não pense você que ela vai descansar

Bota o feijão no fogo e fica ligada não deixa queimar

Passa roupa, arruma a casa E leva a criança pra escola

E a noite vai pro samba só pra ficar de marola

Clareou

Clareou........é um novo dia

É hora de voltar pra casa Maria

 

 

Cantei pra Distrair/Cadê Ioiô

 

 

Eu cantei só pra distrair

Aquelas lágrimas que eu já derramei por ti

Amei e não fui feliz

Mas não vou deixar de amar para não chorar

Cantando assim eu vivo

Sorrindo vou me destraindo

Morreu a minha alegria

Minha companheira de orgia

 

Pagode de Hélio dos Santos

Que em todos os cantos bota pra quebrar

Mostrando que é lá da serrinha

E todos são bambas naquele lugar

 

Este samba da antiga

Que alegra a vida e não tem idade

Desce pra cá pro asfalto

E vem alegrar o povo da cidade

 

Eu cantei .....

 

Dona Fia, Dona Fia

Dona Fia cadê Ioiô, cadê Ioiô

Cadê Ioiô dona Fia, cadê Ioiô

Cadê, Cadê, Cadê Ioiô Cadê,

Cadê, Cadê Ioiô

 

Ioiô é um moleque maneiro

Vem lá do Salgueiro e tem seu valor

Toca cavaco, pandeiro

E no Partido Alto é bom versador

E quem sabe o seu paradeiro

É o pandeiro cavaco e tantã

Quando ele encontra a rapaziada

Só chega em casa de manhã

 

Dona Fia, Dona Fia.......

 

Quero encontrar este bamba

Que em termos de samba é sensacional

Para alegrar o pagode

Que estou preparando lá no meu quintal

E foi no samba pra gente

Que vi um valente versar pra Ioiô

Mas ele estava indecente

Deixando o malandro de pomba-rolô

 

 

Menina da colina

 

 

Hoje eu vou ficar a madrugada inteira na colina
Só pra ver o meu amor passar
Que saudade que eu to da menina

Eu canto partido alto na colina a noite inteira
Me desloco do asfalto só pra ver a menina faceira
Que me encanta e fascina, me faz escravo da paixão
Minha musa luz divina de encanto e sudução (eu vou ficar)

Quando eu chego na colina a lua ilumina minha inspiração
Faço verso de improviso porque sou preciso na minha oração
E os versos que faço pra Â'quela menina que é minha sina e minha paixão
É meu universo e nunca termina pois se encontra dentro do meu coração (eu vou ficar)

Madrugada fascinante do qual sou amante e não posso negar
Que me envolve a todo instante quando me ponho a versar
Pois o verso me aproxima das mais belas rimas que nunca tem fim
E aquela menina a noite ilumina e traz as estrelas pra junto de mim

 

Chega pra sambar

 

Quero ver quem vai ficar Nessa roda sem sambar
Quero ver quem vai ficarNessa roda sem sambar

Fundo de Quintal berço de terreiro de bambas
Vamos que o pagode é o samba eh laiá laiá
Fundo de Quintal na palma da mão abre a roda
Já faz tempo e agora que é eh laiá laiá

No fundo eu sei que você sente sêde de samba
No morro ou no asfalto encanta e faz sambar
Quem mexe por baixo levanta e sacode a galera
E faz da vida poesia expressão popular

Eu vou!
Vou mandar te buscar eu vou
Pro samba te pegar eu vou
ate o sol raiarEu vou!
Então chega pra cá pra sambar
Se o samba tá legal eu vou
É o Fundo de Quintal eu vou
Te levar pra sambar eu vou
Que sambar não faz mal

 

Recado de Fé

 

 

ô ô ô ô
ô ô ô ô

Macunaíma falou que a procissão vem ai
Vem trazendo oferendas
Pra todo santo de luz

Santa maria mãe de deus
Rogai por nós pecadores
Vem a procissão
Vem a procissão

Pra todos os santos homenageados
O keto, umbanda da bahia
Cabloco bebia, pulava engraçado
E o povo cantava no meio da folia

Vem a procissão

Vem a procissão

Estava no meio de samba de roda
Do frevo e xaxado
Parou pra assistir
E não resistiu a força emana
Por onde ela passa nos leva a seguir

 

 

 

 

Do Fundo de Nosso Quintal

 

Mais um pouco e vai clarear
Nos encontraremos outra vez
Com certeza nada apagará
Esse brilho de vocês, de vocês, de vocês

O carinho dedicado a nós
Derramamos pela nossa voz
Cantando a alegria de não estarmos sós

Boa noite, boa noite
Pra quem se encontrou no amor

Boa noite, boa noite
Pra quem não desencantou

Boa noite, boa noite
Pra quem veio só sambar

Boa noite, boa noite
Pra quem diz no pé e na palma da mão

Boa noite, boa noite
Pra quem só sentiu saudade afinal

Obrigado do fundo do nosso quintal

 

 

A oitava cor

 

Mais é muito mais
Que o calor de uma fogueira
Que os vendavais, que abalam as
Cordilheiras
Pois entre nós o amor não é de
Brincadeira, viu
É ter a mão, fruta de pé, no fundo de

Quintal
Não é a emoção, das nuvens de

Algodão
Que vem e logo vão, é muito mais
E os carnavais, não acabam quarta-feira
Os nossos ais, se perderam na poeira
Pois entre nós, o amor não é de
Brincadeira, viu
É a canção de amor e fé de um
Mundo sem igual
Aquela emoção inteira
Pois é assim o nosso amor
No arco-íris a oitava cor
O presente ao céu, supra sumo do mel
Acalanto, me faz dormir em paz
Pedra preciosa, enfim que
Nos achou
E ficou mais rica com o nosso amor
O divino troféu para o menestrel
Quer é cantar o amor, quer mais
E os carnavais, não acabam quarta-feira
Os nossos ais, se perderam na poeira
Pois entre nós, o amor não é
Brincadeira, viu
É a canção de amor e fé de um
Mundo sem igual
Aquela emoção inteira
Pois é assim o nosso amor
Um arco-íris alegrava a cor
O presente ao céu, supra sumo do mel
Acalanto, me faz dormir em paz
Pedra preciosa, enfim que
Nos achou
E ficou mais rica com o nosso amor
O divino troféu para o menestrel

 

So pra contrariar

 

Só pra contrariar
Eu não fui mais na favela
Só pra contrariar
Não desfilei na Portela
Só pra contrariar
Pus a cara na janela
Só pra contrariar
Eu não fiz amor com ela

Contrariei, sabendo que ainda era a mais bela
E tinha malandro ligado na dela
Que nunca deu bola, que nunca deu trela
Contrariei, revelando segredo que não se revela
Só pra contrariar, ela ainda é donzela

Só pra contrariar
Eu não fui mais na favela
Só pra contrariar
Não desfilei na Portela
Só pra contrariar
Pus a cara na janela
Só pra contrariar
Eu não fiz amor com ela

Contrariei, e acho que dei um bico na canela
Desprezando o que todo o mundo zela
Como tufo, jóia, escultura ou tela
Contrariei, mas essa castidade abri a fivela
Só pra contrariar. ela ainda é donzela

Só pra contrariar
Eu não fui mais na favela
Só pra contrariar
Não desfilei na Portela
Só pra contrariar
Pus a cara na janela
Só pra contrariar
Eu não fiz amor com ela

 

A batucada dos nossos tantas

 

Samba, a gente não perde o prazer de cantar
E fazem de tudo pra silenciar
A batucada dos nossos tantãs
No seu ecoar, o samba se refez
Seu canto se faz reluzir
Podemos sorrir outra vez

Samba, eterno delírio do compositor
Que nasce da alma, sem pele, sem cor
Com simplicidade, não sendo vulgar
Fazendo da nossa alegria, seu habitat natural
O samba floresce do fundo do nosso quintal

Este samba é pra você
Que vive a falar, a criticar
Querendo esnobar, querendo acabar
Com a nossa cultura popular

É bonito de se ver
O samba correr, pro lado de lá
Fronteira não há, pra nos impedir
Você não samba mas tem que aplaudir

 

Carrocinha

Pour ce titre, merci à Cati et Martha

 

Vou armando a carrocinha
Pra vender cachorro quente
Vem gente provar, vem gente

Hoje em dia a gente come o que dá pra comprar
Já tem gente reservando o almoço e o jantar
Trinta contos já dá pra pagar
Um tremendo banquete, salsicha no pão
Vem gente provar que é bom

Vou armando a carrocinha
Pra vender cachorro quente
Vem gente provar, vem gente

Já tem gente viajando à pé pra provar
Já tem rico dispensando até caviar
Trinta contos já dá pra pagar
Você pode sonhar com arroz e feijão
Vem gente provar que é bom

Vou armando a carrocinha
Pra vender cachorro quente
Vem gente provar, vem gente

Hoje em dia a gente come o que dá pra comprar
Já tem gente reservando o almoço e o jantar
Trinta contos já dá pra pagar
Um tremendo banquete, salsicha no pão
Vem gente provar que é bom

Vou armando a carrocinha
Pra vender cachorro quente
Vem gente provar, vem gente

No tempo da minha avó
Era tudo diferente, olha aí que vem
Vem gente provar, vem gente
Trinta contos já dá pra pagar
Mais de um mês de almoço, café e a pensão
Vem gente provar que é bom

Antes dava pra bancar
Hoje nem pra fazer frente, olha aí que vem
Vem gente provar, vem gente
Trinta contos já dá pra pagar
Mas cuidado menino com a tal inflação
Vem gente provar que é bom


Vou armando a carrocinha
Pra vender cachorro quente
Vem gente provar, vem gente

 

 

 


Découvrez Fundo+de+quintal!


20/06/2017
0 Poster un commentaire

A découvrir aussi


Inscrivez-vous au blog

Soyez prévenu par email des prochaines mises à jour

Rejoignez les 38 autres membres